sexta-feira, 12 de junho de 2009

A vingança da natureza ?


Não sei porquê mas este surto quase pandémico da gripe A que teve inicio no México está a preocupar-me.
È facto que é menos letal que a gripe espanhola, que em 1918 matou mais de vinte milhões de pessoas, ou que as gripes asiática e de Hong kong que em 1958 e 63 mataram mais de quatro milhões.
Apesar de estarmos quase no Verão e tendo em conta as medidas tomadas de imediato pela maioria dos países, impressiona a forma como em poucos meses foram infectadas mais de duas dezenas de milhar de pessoas e cerca de 150 morreram. Como será no próximo Outono/Inverno, quando as temperaturas baixarem?
Continuamos a atacar estes vírus com antibióticos ou anti-inflamtórios. E a velha vacina? Segundo os especialistas não resulta porque o vírus tem mutações com muita frequência. Com muita frequência eles querem dizer em alguns meses, ou seja nada nos garante que no próximo Inverno o vírus não esteja muito mais letal do que agora.
Ao que parece dantes tanto os vírus como as bactérias sofriam menos mutações tornando as vacinas mais eficazes. Ultimamente não acontece assim, talvez porque tenhamos banalizado o uso dos antibióticos acabámos por forçar o microrganismo a inscrever no seu DNA a aceleração das mutações como forma de sobrevivência. Este processo terá acontecido num espaço de sessenta anos o que será um tempo extraordinariamente curto para um organismo vivo.
Daqui a mais alguns anos, e quando digo alguns estou a falar em 2 ou 3, os antibióticos existentes não terão qualquer efeito nos vírus e bactérias que nos vão atacar.
Então aí a nossa omnipotente tecnologia vai ter muitas dificuldades em nos valer e afinal não serão as armas nucleares, a poluição ou as mudanças climatéricas mas uns seres vivos, que não precisam de cérebro para serem inteligentes, muito mais capazes do que nós, que irão talvez quem sabe, obrigar-nos a repor o equilíbrio natural.


Saudações

O Viajante

1 comentário:

Shin Tau disse...

Olá Viajante,

muito interessante este seu ponto de vista.
A mim surgui-me a ideia de que nesta Era de Aquário, em que as mudanças ocorrem com mais rapidez do que antes, em que a Natureza vibra mais acelaradamente, também estes vírus e bactérias se adaptam e mudam com mais rapidez do que antigamente. Por isso, talvez não seja só pelo abuso excessivo de antibióticos.

Talvez daqui a uns anos nos apercebamos que até esses vírus e bactérias têm a sua função vital na evolução do Uno.

Beijocas e um bom dia de Santo António