sábado, 28 de março de 2009

Minha casa meu castelo



Termos como: “a casa de um homem é o seu castelo” ou “eu conheço muito bem os cantos à casa” dão uma ideia de intimidade e segurança que todos sentimos quando falamos da nossa casa em comparação com a “selva” lá fora.
È precisamente esta aparente segurança que nos leva a afrouxar e vigilância e de repente o que era o “paraiso na terra” passa a ser o “inferno”.
Os acidentes domésticos são muito comuns, e mesmo com todo o cuidado, há objectos e situações que representam risco e podem provocar acidentes.
Um tapete que não está devidamente assente com protecção antiderrapante, uma gaveta da cómoda aberta, a porta de um armário, um fio do telefone solto, soleiras das portas não niveladas com o chão e até a falta de iluminação, podem provocar quedas e traumatismos com consequências muito graves.
Mas para além dos riscos colocados pelos objectos existem tambem os que resultam das nossas atitudes pouco cautelosas : andar sobre pisos molhados, húmidos ou encerados, andar de meias ou usar chinelos e sapatos mal apertados, estar em pé em cima de um banco ou cadeira a fazer limpezas ou reparações e mexar em equipamentos electricos com as mão húmidas.
Quatro pessoas morrem diariamente em Portugal vítimas de acidentes domésticos e de lazer, que obrigam ainda ao tratamento hospitalar de 1.665 portugueses por dia, segundo um estudo promovido pela União Europeia (UE).
Oito em cada dez acidentes acontecem em casa, na escola e durante os momentos de lazer e desportivos. Nas habitações, as casas-de-banho, as escadas e a cozinha foram consideradas as zonas mais perigosas.
Pensado nisto ocorreu-me fazer alguns posts com o titulo “Minha casa meu castelo”, sobre a segurança na nossa casa para dar uma ajuda a que no próximo estudo comunitário o número de vitimais mortais portuguesas se reduza bastante.
Irei falar em abstracto dos riscos e das eventuais atitudes de prevenção, não me dirigindo especificamente a qualquer escalão étário. Mais tarde irei colocar alguns posts dirigidos à segurança das crianças, idosos e pessoas com deficiência.

Saudações

O viajante

5 comentários:

Carla O. disse...

Boa!
Obrigada :)

Salamandra disse...

Olá Viajante
já me aconteceram algumas coisas menos agradáveis por excesso de confiança.
Ficarei atenta ao próximos post.
obrigada

Um abraço multi-colorido
Salamandra

Viajante disse...

Olá Carla

É para aumentares os teus conhcimentos e ficares ainda mais mãe-coruja

Bj

O Viajante

Viajante disse...

Olá Salamandra

O saber não ocupa lugar e se conseguir despertar as pessoas para alguns riscos domesticos evitando assim acidentes ficarei muito contente.

Um abraço de alma indigo

O Viajante

CAMISOLA PRETA disse...

Obrigada por nos lembrar do constante perigo em que vivemos todos os dias. Coisas que parecem pequenas, mas que na realidade podem causar grandes acidentes.
Kisses,