domingo, 1 de março de 2009

Errar é humano perdoar é divino


No final do Carnaval existem vários rituais de passagem com nomes diferentes mas que têm o objectivo de purificar as almas de todos para o tempo da Quaresma que se segue. O enterro do entrudo, o enterro do bacalhau ou a queima do judas são alguns destes rituais populares.
O falar neste último ritual fez acorrem ao meu espirito algumas ideias acerca do papel de Judas e do seu companheiro de infortunio Poncio Pilatos no julgamente e execução do Senhor Jesus.
Afinal quem eram estes homens e porque razão um traiu a amizade e o outro a justiça?
Judas Iscariotes era um activista político, era o mais letrado do grupo dos apóstolos , tinha boas relações com elementos do Sinédrio e pertencia ao grupo dos zelotes, grupo ultra-nacionalista que lutava contra a presença romana na palestina, ou seja o que hoje se poderia chamar um fundamentalista. Este grupo aguardava ansiosamente a chegada do Messias, que iria expulsar o ocupante romano e restaurar o reino de Judá.
Pôncio Pilatos só é conhecido na história desde que o Imperador Tibério o nomeou governador da província de Judeia no ano 26, ficando praticamente com poder absoluto, embora subordinado a Cesareia. Talvz porque almejasse chegar aos mais altos cargos da hierarquia romana, desde de que chegou àquela provincia afastada do império, Pilatos fez tudo para ser notado pelo seu imperador, provocando algumas conflitos com os judeus, que acabaram por ser resolvidas pelo seu superior hierarquico que se encontrava na provincia proxima da Cesareia quase sempre a favor dos judeus.
E se Judas não tivesse entregue Jesus e Pilatus não tivesse “lavado as mãos” como teria ficado o plano divino para a nossa Salvação?
Estavam estes homens à partida condenados a serem o traidor dos traidores e o egoista dos egoistas?
Será que Deus ou o seu enviado Jesus manipularam estes homens no sentido de realizar o Plano?
Judas foi um dos doze que se aproximou de Jesus no inicio da sua vida pública. Como era dos mais instruidos Jesus nomeou-o tesoureiro da comunidade o que naturalmente deve ter causado alguns problemas com os outros.
Judas, mais do que o Salvador religioso via em Jesus um lider político e militar que deveria conduzir os isrealitas à vitória sobre o ocupante romano.
Todas os milagres que Jesus foi realizando foram dando a Judas cada vez mais a certeza de que Jesus era o Messias de Deus.
Contudo as afirmações de Jesus que o seu reino não era deste mundo ou “daí a César o que é de César e a Deus o que e de Deus” conjugadas com a sua falta de planos para a tomada do poder desiludiram Judas que no seu ardor militante deve ter arquitectado um plano que a seu ver obrigaria Jesus a assumir o seu messianismo. Convencido pelos sacerdotes que apenas o iriam prender durante a Pascoa para evitar que causasse problemas no templo com as sua pregações, Judas entregou o seu amigo e Mestre esperando uma reacção da parte de Jesus.
Para seu espanto Jesus não só impediu Pedro de o defender como também caminhou para a cruz sem quase falar em sua defesa e ao contrário do prometido a prisão pascal passou a execução.
Claro que esta situação foi demais para Judas que cometeu o único crime que lhe pode ser apontado suicidou-se
Quanto a Pilatos ele sabia que mais confusões com os judeus só iriam complicar a sua carreira e quando os judeus se recusaram a entrar no pretorio para não se contaminarem para a celebração da Pascoa é Pilatos que numa atitude sem precedentes, aceita vir ter com eles ao exterior para julgar Jesus. Apercebendo-se que o problema é religioso, para ganhar as simpatias dos judeus tem a atitude que todos conhecemos, lava a mãos e diz que não tem nada que ver com a morte de Jesus, isto apesar dele ter sido torturado e crucificdo por soldados romanos.
Ninguem nasce para ser conhecido como o traidor dos traidores ou o egoísta dos egoístas. Tambem não acredito que Deus na sua justiça tenha manipulado esses dois homens levando a que fizessem coisas tão negativas.
Como já disse muitas vezes, acredito que até mesmo aqueles que surgem na nossa vida e nos causam problemas o fazem por amor. Muitas vezes é precisamente quando somos confrontados por alguém ou alguma coisa que consideramos negativa é que fazemos vir ao de cima o melhor de nós.
Tanto Judas como Pilatos faziam parte do plano encabeçado por Jesus para a elevação vibratória do planeta e para salvação da raça humana, então porque não pensar que eles tal como Jesus se sacrificaram para que tudo fosse consumado?
Se durante dois mil anos a justiça dos homens foi implacavel com Judas e Pilatos talvez nesta era iluminada pela luz do Espirito seja a altura de se rever a sentença.


Saudações


O Viajante

4 comentários:

Shin Tau disse...

Olá Viajante,

mais um rico tema!!!
Se concordo consigo em muitas coisas, há algumas que nem por isso. Não, não vou falar do suicídio! rkrkrkr pelo menos já!

De facto é difícil para as nossas mentes humanas compreender que todos temos um papel na elevação do Planeta e, por conseguinte, do Universo, principalmente porque ninguém sabe na verdade qual ele é, a não ser que seja como Jesus e tenha tido uma visão!
Considerar Judas o traidor e Pilatos o egoísta são termos muito mundanos, que apenas a nossa experiência física consegue rotular dessa forma. Para o Universo, eles apenas desempenharam o seu papel e bem. Mas e eles, enquanto essência, terão ficado satisfeitos por terem realizado uma parte da obra com coisas negativas? Podemos compreender que enquanto energia a coisa não foi nem boa, nem má, mas enquanto valores morais eles tiveram acções negativas, pelo menos neste Plano em que vivemos.
Quando diz: "Ninguem nasce para ser conhecido como o traidor dos traidores ou o egoísta dos egoístas. Tambem não acredito que Deus na sua justiça tenha manipulado esses dois homens levando a que fizessem coisas tão negativas." Esta não é a minha crença. Acredito que o Universo, ou Deus, quando elaborou o plano teve em conta as características negativas que estas duas pessoas continham e escolheu-as de entre outras para consumar a morte de Jesus, por isso mesmo. "Tanto Judas como Pilatos faziam parte do plano encabeçado por Jesus para a elevação vibratória do planeta e para salvação da raça humana, então porque não pensar que eles tal como Jesus se sacrificaram para que tudo fosse consumado?". É verdade, mas a diferença existe, pelo menos perante os nossos padrões sociais e morais. Jesus sacrificou-se, em parte caminhou para a sua morte sem lutar, o que para mim é um desistir, um suicídio diferente (imagino que isto vá dar polémica) e todos aceitam isso naturalmente como uma coisa boa, pois ele sabia que esse era o seu destino, Judas traiu e Pilatos não foi capaz de agir como desejava na verdade e isso são consideradas coisas más. Cada um desempenhou o seu papel, é certo, mas os dois últimos não podem deixar de ser considerados pelas suas acções negativas. Não me parece que possamos andar por aí a dizer que não faz mal ser traidor ou egoísta, mesmo se é verdade que todos são necessários para o Plano Divino.
Já quanto ao papel de Jesus, parece que todos aceitaram o seu martírio mas ninguém lhe segue o exemplo, afinal quantos de nós continuamos a achar que é preciso sofrer e penar para ser feliz? Não foi isso que Jesus nos ofereceu, livrou-nos das nossas dores? Por isso, espero que nesta nova era as pessoas compreendam que ninguém tem de sofrer para ser feliz, que todos temos um papel a desempenhar, mas que ninguém sabe qual é. Por isso o melhor é mesmo caminhar em direcção à felicidade e alegria, perdoando e aceitando, mas nunca esquecendo que há valores e princípios orientadores que não podem nem devem ser ultrapassados.

Obrigada pela excelente oportunidade de conversar sobre este tema!

Salamandra disse...

Meu amigo
abordar este tema desta maneira mais uma vez me mostra que está seguro do seu caminho.
Não é fácil expor este assunto uma vez ´que há várias maneiras de o interpretar, na minha humilde opinião acho que tudo esteve perfeitamente certo na hora certa, assim tinha de ser.Não acho que Judas ou Pilatos estejam muito preocupados com os rótulos que nós humanos lhes damos(rs) mas sim com a compreensão da mensagem que nos trasmitiram, essa sim é muito importante, cumpriram aquilo a que se destinaram quando vieram a este plano, será que nós temos essa coragem?
Jesus esse eterno Mestre, aceitou a sua missão, embora não deixasse de dizer "Pai afasta de mim esse cálice" será que Jesus concordou de imediato com o plano de Deus, de sacrificio? mas será que se não fosse assim os homens entenderiam a mensagem?
Não acho tambem que se tenha de sofrer para ser feliz mas....a vida comporta sempre alguma dose de sofrimento, cabe-nos a nós relembrar a nossa essência.Eu tambem aceito todas as coisas e todas as pessoas que surgem na minha vida com elas aprendo.Este post dá-nos grandes liçºoes cabe a cada um de nós retirá-las.
Muito obrigada por isso.
beijinho
e sempre aquele meu abraço muito forte.
salamandra

p.s. eu gosto muito desta frase não sei qde quem é mas diz: "quando eu penso que sei todas as respostas vem a vida e muda-me as perguntas"
.
Por isso continuarei como peregrino a tentar fazer o meu caminho com humildade, porque nada sei.
beijinho

CAMISOLA PRETA disse...

Ola Viajante,

Obrigada pelo seu comentario.
Eu acredito que todos nos temos um papel a desempenhar que por muito pequeno que seja,contribui sempre para o bem da Humanidade, so que nem todos podem ser herois,alguns tem que ser viloes e no caso tanto de Judas como de Pilatos, aqueles eram os papeis que eles tinham que desempenhar para o bem da Humanidade.
Kisses

Carla O. disse...

Este é um tema que dá pano para mangas e, como já disseram atrás, sujeito a várias interpretações.
Como sabes, eu tendo a concordar basicamente com o que disseste.
Parece-me que as coisas foram como tinham efectivamente que ser, para que tudo pudesse tomar o rumo que tomou.
Imaginemos um grande jogo de xadrez, em que cada peça tem o seu lugar e importância. Penso que foi assim com estes protagonistas e que será assim também para nós.
Resta-nos o livre arbitrio que pode baralhar a questão ;)
Beijos :)