domingo, 10 de agosto de 2008

Portugal país religioso


Sempre foi uma imagem de marca deste nosso país a incontestada religiosidade do seu povo. Desde de sempre a Igreja Católica dominou pelo menos em termos estatísticos, contudo existem vários conceitos de católicos.Católico não praticante, ou seja é batizado mas não frequenta os cultos. Depois existem os católicos praticantes mas que não cumprem as regras como por exemplo do controlo de natalidade ou do aborto. Por último temos os que são católicos mas não gostam dos padres.
Ser católico passou a ser uma tradição, uma “herança cultural”. A instituição transformou-se numa espécie de supermercado de sacramentos onde as pessoas vão para comprar umas comunhões uns batismos ou até uns casamentos, muito mais bonitos do que os relizados pelo civil, mas nem querem ouvir falar da falta de vocações ou dos custos da manutenção dos templos ou nos serviços que como cristãos deveriam prestar à comunidade.
No inicio do seculo XXI a purificação da Igreja Católica Romana torna-se necessária . Será com certeza penosa para alguns espíritos que ainda julgam poder controlar outros espíritos e que continuam a dar mais valor à quantidade do que à qualidade. Quanto aos cristãos católicos façam um exame de consciência e decidam se querem amar a Deus dentro ou fora da Igreja e sobretudo tenham a honestidade intelectual e moral para definirem o seu lugar.
Com isto não quero dizer que enquanto instituição a Igreja Católica tenha terminado o seu papel, apesar dos seus defeitos, ou melhor dos defeitos dos homens que a dirigem, ela continua a ser um repositório de valores e uma importante fonte da coesão da sociedade que urge preservar e sobretudo melhorar, contruindo cada vez mais pontes por onde passe a mensagem primeira que Jesus nos deixou “amai-vos uns aos outros como o Pai vos ama”.


Saudações


O Viajante

2 comentários:

Carla O. disse...

Efectivamente, tudo isso dá que pensar.
Costumo dizer que acredito em Deus, mas não na Igreja - embora não me consiga desligar dela totalmente.
Ainda tenho esperança que os homens que estão à frente da Igreja Católica percebam que, para que os fieis, principalmente os mais jovens, continuem com ela é preciso adaptarem-se aos novos tempos. Não necessitam revogar todos os valores, mas é necessário adquirir novos valores, que possam acompanhar e até guiar a sociedade tal como ela hoje se apresenta e evolui.
Beijos

Shin_Tau disse...

Creio que a Igreja está caduca! Para mim é inquestionável que Deus existe, mas não é necessariamente o Deus que as Igrejas (sejam elas quais for) nos mostram. Quanto à católica, creio que só haverá volta a dar se ela devolver o poder ao Ser Humano. A partir do momento em que esta igreja nos tenta controlar através do medo do Inferno, das penitências forçadas e de cultos obsoletos, não há mais nada que Eu consiga retirar de lá. Como em todas as coisas há o lado positivo, os novos padres que tentam mostrar realidades e reinterpretações dos textos à luz da consciência actual, e o lado negativo, aqueles que não compreendem que o Poder do Conhecimento é para ser partilhado e não exclusivo de um número de pessoas.
Quanto à imagem que escolheu, não poderia ser mais representativa do que a Igreja faz, basta dizer que o Local é especial energeticamente e por isso mesmo foi escolhido para a manifestação mariana, mas o que fez a Igreja? Controlou e manipulou os fiéis, sendo hoje um sítio onde se podem encontrar percursos energéticos altamente podres. Por estas razões e muitas outras, não será difícil de compreender porque há tantas pessoas que não se conseguem definir. Acreditamos em Deus mas não na igreja, apesar de ser essa a nossa herança cultural, em que ficamos? No purgatório até nos decidirmos?
A igreja, no meu entender, perdeu o seu significado, ela não mais tenta ligar o Homem com o Divino, ela encarou ser a representação do Divino e ponto! Infelizmente, ou felizmente, este discurso vem de alguém que não tem uma educação católica, além do baptismo não fiz mais nenhuma das etapas (não me lembro de melhor palavra para designar o percurso), mas basta olhar o mundo para retirar estas conclusões. Apesar de tudo, não deixa de ser a visão de alguém que está de fora!
O tema dá pano para mangas!!!