sábado, 20 de setembro de 2008

Vida Por Vida


Heróis não são aqueles que realizaram obras notáveis. Mas os que fizeram o que foi necessário
e assumiram as consequências dos seus actos.



Um dia estava eu no quartel de bombeiros em Peniche quando uns pais angustiados vieram pedir ajuda. A sua filha estava mal psicologicamente, tinha desaparecido de casa e eles tinha receio que ela se suicidasse.
Peniche é uma península com boas praias mas tambem com muitas falésias que as pessoas com problemas aproveitam para desistir da vida.
Juntámos uma equipa e resolvemos começar na zona norte junto à estrada marginal em frente à Papoa.
Mal chegamos ao local recebemos logo más noticias, alguém tinha visto a moça atirar-se da falésia.
Este tipo de situações é muito frustrante para quem pretende salvar porque as hipoteses da pessoa estar viva são extremamente diminutas e portanto a partir daí o objectivo é recuperar o corpo para o entregar à família.
Na equipa ia um bombeiro de seu nome Fernando Malheiros , carpinteiro naval de profissão e pescador experiente que conhecia todos os acessos e possíveis lugares daquela falésia onde a nossa vítima poderia estar, isto claro se não tivesse atingido o mar. Depois de verificados todos esses lugares sem resultados, acabamos por parar a busca partindo do princípio que a vítima teria de facto caído ao mar e se tinha afogado.
Quando iamos de regresso ao quartel o Fernando volta-se para mim e diz: Hoje de madrugada quando a maré estiver baixa volto cá com outra equipa. E de facto nessa noite a equipa do Fernando descobriu a vítima numa caverna não acessível durante o período das primeiras buscas. Estava em hipotermia e tinha uma fractura numa das pernas, mas estava viva. Foi de imediato levada ao hospital . Se não tivesse sido o Fernando a tomar a decisão de voltar naquela noite, a moça teria com certeza morrido.
Mais tarde em conversa com ele perguntei-lhe como seria que ela tinha conseguido chegar à gruta com a perna fracturada e ele respondeu de uma forma simples mas profunda, de quem conhece e respeita: foi o mar que a devolveu.

Um abraço de Vida Por Vida ao Fernando
Como diz o Talmud o livro sagrado dos judeus "Aquele salva uma vida salva todo o mundo"

Saudações

O Viajante

2 comentários:

The Seeker disse...

A soooooo beautiful and touching story. Thank you for sharing it with us.

I hope you were able to touch some stone hearts.

xoxo

Nuno Leitão disse...

Foi um milagre a Paula ter resistido,quando a encontramos ela estava coberta de limo e algum lixo ficou sem alguns dedos do pé derivado a ratos que os comeram sobreviveu e hoje tá bem.