quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Ainda a Geórgia


“Estados Bálticos defendem a integridade da Geórgia”. Ora essa!! não apoiaram e reconheceram a independência do Kosovo então porque não a da Ossetia, e da Abkazia.
Pois quarenta anos sob domínio soviético não foi pêra doce mas se querem continuar a existir mesmo na UE habituem-se a negociar seja com os russos ou com outros quaisquer, porque não será o escudo anti-missil nem a Nato espalhada por diversos teatros de operações que poderá enfrentar as forças armadas da Rússia.
Tal como os americanos os russos não brincam em serviço e portanto vamos acabar as humilhações à Rússia. Eles são um povo orgulhoso que não aceita ser humilhado, repórteres de guerra como o da Skynews que praticamente na sua reportagem se limitou a insultar os militares russos não dão uma boa imagem da comunicação social ocidental imparcial.
Não morro de amores pelos russos mas tenho que reconhecer que a comunicação social algo injustamente colocou-os no papel dos maus da fita, criticando até o facto de eles terem ameaçado ir para Tiblissi e depois terem voltado para à Ossétia. Então não foi isso que os Estados Unidos fizeram na primeira guerra do golfo, avançaram para Bagdad e depois voltaram para trás?
A procura do inimigo externo para desviar a atenção dos problemas internos tem sido ao longo do tempo uma técnica utilizada por muitos dirigentes. Só assim se pode justificar esta aventura militar da Georgia.


Saudações


O Viajante

2 comentários:

The Seeker disse...

I would like to comment just the today's quote of the day.

So sweet and makes us wonder...

xoxo

Paulo Guerra disse...

Realmente, o ponto em que você toca é importante na medida em que tendemos a enxergar a Rússia com um olhar maniqueísta da Guerra Fria, uma coisa do passado, aliás, literalmente do século passado.
Eu gostei do seu comentário a respeito do início da guerra ter sido provocado pelos militares georgianos, o que é inegável, mas no entanto, no meu outro artigo a respeito da Guerra na Geórgia eu destaquei a prática da proxy war por parte de Moscou desde julho, utilizando-se de paramilitares separatistas da Ossétia do Sul.
Eu não acompanho a situação da Geórgia, mas pra mim é difícil acreditar que um país como este pudesse enfrentar a Rússia para sanar questões internas.
Cara, vc pode me explicar como que essa guerra ajuda na candidatura McCain e também me falar mais sobre essa reunião do conselho de segurança?
Esse é de fato um bom assunto!!
Lhe aguardo nos comentários do blog, grande abraço